Um aliado ideal para trabalhar nas escolas

Quando estou assim, meio sem saber o que quero, acabo fazendo um brinquedo. E isso me anima. É um jeito bem diferente de brincar. Já sou adulto, é verdade. Mas, de certo modo, nunca deixei de ser criança (ainda bem!). Eu sou ilustrador, quer dizer, eu invento desenhos para deixar mais divertidos o livro e a revista que você lê. E desenhar é uma coisa de que toda criança gosta. Desde de pequeno eu adorava pegar umas folhas de papel em branco e rabiscá-las com minhas canetinhas coloridas. E outra coisa que eu adorava fazer era brincar de inventar brinquedos. Isso é uma coisa de que eu sempre me lembro e tenho saudades. Foi por isso que, há alguns anos, pensei em mostrar como é que se fazem esses brinquedos. Para tentar matar a saudade daqueles que eu mesmo fazia. Num jornal para o qual eu fazia ilustrações, comecei a explicar a construção de alguns desses brinquedos. As crianças gostaram. Viram que não era difícil. Só precisavam, às vezes, da ajuda dos pais, ou de algum outro adulto legal, o que tornava ainda mais gostosa a tarefa de construí-los. Com isso, me empolguei. Lembrei de outros e mais outros. Quando vi, dava para fazer um livro. Aí, eu pensei: e por que não? Vai ver que, hoje, as crianças não fazem seus próprios brinquedos porque ninguém teve paciência de mostrar a elas como criá-los. Aqui você vai descobrir como é que um monte de cacarecos e coisas aparentemente inúteis podem se transformar num brinquedo único, só seu. E depois que pegar o jeito, você, com certeza, vai querer inventar muitos e muitos outros. Como é, gostou da idéia? Então, mãos à obra! Afinal, o que é que pode ser mais divertido do que brincar de fazer brinquedo?

Facebook Twitter Google+ Google Bookmark Pinterest Addthis